Rubem Fonseca ia fazer 95 anos dia 11 de maio

Ele morreu de infarto, no bairro onde morava, o Leblon, no Rio, onde o visitei tantas vezes, a primeira delas num jantar em que estava também Clarice Lispector.

Era um querido amigo, não apenas um grande escritor. Eu o conheci depois de ter feito meu primeiro trabalho universitário sobre seus livros, então não muito conhecidos do público. Nessa época, ele era diretor da Light… Está doendo muito a notícia de sua morte.

Publiquei três livros sobre suas obras e ontem uma amiga me perguntava por quê…

“Rubem Fonseca tinha um modo de narrar que lhe permitia o depoimento, o testemunho. Fez uma escolha extraordinária: o narrador não é apenas personagem também, é o senhor da narrativa”. (Rio, Relume Dumará, 1996).

Deixe uma resposta