Moro diz que decisões de Bolsonaro sobre o coronavírus pesaram em sua saída do governo

BandaB – O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que as decisões do presidente Jair Bolsonaro sobre o controle da pandemia do novo coronavírus pesaram em sua decisão de sair do governo federal, mas que de fato a saída de Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal (PF) foi a gota d’água para deixar o cargo. O ex-juiz da Lava Jato concedeu entrevista exclusiva à jornalista Denise Mello nas mídias digitais da Banda B, na manhã desta quarta-feira (22).

Moro deixou o governo uma semana após a saída de Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde e falou sobre as medidas adotadas por Bolsonaro na pandemia. “É preciso colocar a bola no chão, essa questão da pandemia não é ideologia. Medicamento, vacina é questão de ciência. Apesar de ser de outra pasta, esses posicionamentos sobre a pandemia também pesaram na minha decisão de deixar o governo. É uma pandemia muito preocupante, a gente sabe que nem todo mundo pode ficar em casa, mas todos os cuidados precisam ser tomados, como o uso da máscara”, disse.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem dado declarações polêmicas com relação à pandemia do novo coronavírus. No último fim de semana, por exemplo, ele expôs a hidroxicloroquina para apoiadores mesmo com a posição contrária da Sociedade Brasileira de Infectologia quanto ao uso do medicamento.

Gota de Água

Apesar disso, o ex-ministro voltou a afirmar que o maior peso de sua decisão tem relação com a Justiça e Segurança Pública, em especial na agenda anticorrupção. ” Eu fui percebendo que minha agenda estava sendo esvaziada, com a transferência do Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras], depois a mudança do meu nome indicado ali. No Projeto Anticrime eu não sentia aquele apoio necessário e algumas inserções que não eram positivas pelo Congresso e que o presidente se negou a vetar, algumas que afetavam diretamente a Lava Jato. A gota de água, porém, foi sim a Polícia Federal, já que acredito que mudança lá não é tão simples, já que é necessário manter a autonomia da corporação”, comentou.

Deixe uma resposta