‘Não há zona de conforto’,
diz secretario da Saúde

G1 – “Não há nenhum zona de conforto”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, um dia depois de o Paraná alcançar o recorde de mortes confirmadas em 24 horas pela Covid-19.

O último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado na terça-feira (4), apontou a morte de 78 pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Ao todo, o Paraná tem 2.106 mortes causadas por Covid-19. O número de casos confirmados da doença é de 81.814.

Nesta quarta-feira (5), Beto Preto falou sobre a situação no estado em uma entrevista à RPC Curitiba para o Meio-Dia Paraná.

Para o secretário, o número de mortes confirmadas na terça-feira é muito significativo.

“Os números não estão baixando ainda. Nós continuamos trabalhando com certo equilíbrio, uma média móvel que segura o número de casos. Porém, ainda longe do que nós gostaríamos”, disse.

De acordo com o secretário, entre os dias 10 e 11 de agosto, deve-se ter um “panorama efetivo” do resultado da curva da quarentena restritiva – aplica de 1º a 14 de julho.

“Nossa estratégia continua sendo a ampliação de leitos. Nós estamos conseguindo ampliar leitos, vamos chegar naqueles 1.150 prometidos no início do planto de contingência colocado para o combate ao coronavírus”, afirmou.

Confira a taxa de ocupação de leitos hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para pacientes suspeitos ou confirmados de Covid-19, segundo o último boletim da Sesa:

  • 73% dos 1.074 leitos de UTI adulta
  • 50% dos 1.549 leitos de enfermaria adulta
  • 20% dos 49 leitos de UTI pediátrica
  • 31% dos 70 leitos de enfermaria pediátrica

“Não gostaríamos de tratar com mais de duas mil perdas de vidas humanas paranaenses. Infelizmente, o isolamento domiciliar caiu muito. O distanciamento social tem dificuldades de acontecer na sua plenitude, e a transmissão comunitária, a velocidade da transmissão do vírus continua acontecendo”, disse.

Dia dos Pais

No domingo (9), vai ser celebrado o Dia dos Pais.

Beto Preto ressaltou que viagens e encontros familiares no fim de semana podem ser um fator determinante para espalhar ainda mais o coronavírus.

“Estamos em transmissão comunitária, porém, temos poupado muito a vida de pessoas com mais de 60 anos. Essa viagem pode ser sim um sinal difícil de controlar essa pandemia, que pode espalhar ainda mais o vírus dentro da casa das pessoas”, afirmou.

O secretário também pediu para, quem for às compras atrás de presentes para os pais, mantenha o distanciamento social e siga as recomendações sanitárias.

Deixe uma resposta