Flexibilização da quarentena põe Curitiba na rota do colapso, diz estudo

A partir de dados recentes obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, pesquisadores da iniciativa Ação Covid-19, dedicados a estudar a evolução da doença no Brasil, realizaram simulações para diferentes cenários de isolamento social na capital do Paraná. O objetivo era identificar o grau de vulnerabilidade de áreas e grupos.

Segundo eles, nas atuais circunstâncias, com shopping centers e academias de ginásticas de portas abertas, existe o risco real de que o sistema de saúde da cidade entre em colapso.

O último boletim da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, divulgado na quarta-feira (05/08), informa que a taxa de ocupação das 345 UTIs do SUS exclusivas para covid-19 era de 88% (43 estavam livres). No entanto, esse número tem variado e permaneceu acima de 90% por vários dias seguidos nas últimas semanas.

“A proporção de mortos nos cenários sem isolamento social apontam os riscos de que o sistema de saúde não seja capaz de comportar todos aqueles que necessitem de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs)”, diz o estudo.

Deixe uma resposta