Leituras de quarentena

Antologia poética de Anna Akhmátova

O tom intimista e confessional de sua poesia fez com que Anna Akhmátova (1889 – 1966) se tornasse um grande sucesso desde a publicação de seu segundo livro, Rosário, em 1914. A autora russa não entrou para competir pelo espaço literário, mas criou a partir de sua poética uma outra mirada sobre as experiências pessoais e sua relação com o contexto histórico em que vivia, estabelecendo-se com sua potência escrita. Akhmátova também viveu e lapidou durante vinte anos o seu poema autobiográfico, Poema sem herói.

A vida pede um tempo de Clara de Góes

Quando você sai,
a vida pede um tempo
vai ao banheiro
toma café, e volta
quando você volta.

“Poemas de nuvens ou de carne e osso, poemas-pedra e caroço. Poemas em trapos e bem vestidos, poemas simplesmente para ler” de Clara de Góes, psicanalista e poeta, publicou A vida pede um tempo pela 7 Letras em 2010.

Deixe uma resposta