Secretária da Saúde nega relação
entre eleição e novo decreto

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, negou que a reabertura de cinemas, teatros e liberação para festas e ventos tenha a ver com as eleições em Curitiba. A prefeitura publicou novo decreto, que entrou em vigor neste sábado (10), com mais flexibilizações durante a pandemia.

“A gente está em época de eleição, mas nosso comitê é técnico e nossa bandeira é extremamente matemática. Nós temos hoje a menor nota da bandeira amarela desde o início do monitoramento dos casos. Pela primeira vez, desde o final de junho, temos quatro indicadores amarelos. Tem gente ideologizando as bandeiras, mas nosso grupo é muito técnico e muito sério”, rebateu. As informações são do Paraná Portal.

O sistema de bandeiras foi elaborado pela SMS no início de junho. As cores amarela (alerta), laranja (risco médio) e vermelha (risco alto) são representadas pelas notas 1, 2 e 3, valores da taxa calculada por meio de nove indicadores. Seis deles avaliam o nível de propagação da doença e três monitoram a capacidade de resposta do Sistema de Saúde da cidade.

De acordo com a prefeitura de Curitiba, são contabilizadas 50 mortes por semana desde o início de setembro. Nos meses de julho e agosto, a média foi de 100 óbitos semanais.

Segundo Huçulak, os indicadores da SMS dão segurança em relação às decisões tomadas. Além disso, ela destacou que há muito mais conhecimento acerca do vírus neste momento do que no início da pandemia.

“As coisas foram se solidificando o e fomos ganhando aprendizado. Estávamos todos assustados em março. Quem não se assustou com os caminhões e tendas no Central Park?”, indagou.

“As pessoas com quadros respiratórios precisam ficar isoladas. O uso da máscara, álcool em gel são altamente efetivos. A sociedade pode, sim, voltar a funcionar. Estudamos todos os óbitos e como se deu o possível contágio, o que nos permite, com mais segurança, soltar algumas atividades”, completou.

De acordo com o último boletim, Curitiba totaliza 47.166 casos confirmados e 1.362 mortes por covid-19.

Deixe uma resposta