A LEI DE MURPHY ATACA

Ruy Castro.  

Alguns enunciados clássicos para sua consideração em meio ao tiroteio entre ministros do STF.  

Você conhece o enunciado: “Se alguma coisa tem chance de dar errado, dará”. É a Lei de Murphy, um sistema de pensamento sugerido sem querer, em 1948, pelo engenheiro Edward Murphy (1918-1990), num laboratório espacial quando testava um sistema de frenagem de foguetes. A frase foi ouvida pelo coronel J.P. Stapp, que a transformou em lei e criou um de seus primeiros corolários: “Se alguma coisa tem chance de dar errado, dará —e na pior hora”. Em 1974, o escritor Arthur Bloch expandiu-a em dezenas de variações que, por sua vez, também ganharam adaptações em toda parte. Para sua reflexão nesses dias de tiroteio de decisões entre os ministros do STF, eis algumas.

“Nada é tão ruim que não possa piorar.” “Toda solução cria novos problemas.” “Se há possibilidade de várias coisas darem errado, dará errado a que causar mais problemas.” “Problemas complexos têm soluções simples, de fácil compreensão e erradas.” “O homem que consegue sorrir quando alguma coisa dá errada é porque pensou em alguém em quem botar a culpa.” “Quem ri por último é porque não entendeu a piada.”

“Se determinada medida não vale a pena, não vale a pena ser bem executada.” “Na prática, funciona. Mas funcionará na teoria?” “Nenhuma experiência é um erro completo. Sempre pode servir de exemplo negativo.” “Quando um erro é descoberto e corrigido, descobre-se depois que não estava errado.” “Nunca discuta com um idiota. Os outros podem não saber quem é quem.”

“Nunca atribua à esperteza o que é facilmente explicável pela burrice.” “Se a situação parece ter melhorado, é porque você não está percebendo alguma coisa.” “A situação ainda vai piorar antes de melhorar.” “Quem disse que a situação vai melhorar?”

Um Murphy brasileiro diria: “O Brasil já tinha Bolsonaro e uma pandemia capaz de dizimar a população. Era preciso tomar uma providência. Tomou. Agora tem a pandemia, Bolsonaro e Lula”.

Deixe uma resposta