Neste domingo (21) tem live com Fábio Campana e Marianna Camargo

A décima edição de “Às vezes, aos domingos” traz Fábio Campana e Marianna Camargo no dia 21 de março, a partir das 17 horas, no Instagram @maricotacamargo.

Eles vão se entrevistar, ler poemas e textos autorais e devem comentar, entre outras questões, obras que apreciam e autores de quem são leitores. 

Iguaçuense radicado em Curitiba, Fábio Campana recentemente relê, por exemplo, a obra do Enrique Villa-Matas, em tradução da Josely Vianna Baptista, e compulsa livros de Octávio Paz, Maria Esther Maciel, Rubem Braga, Pedro Nava, Décio Pignatari, Wilson Bueno, Dalton Trevisan e Guido Viaro.

Já a paulistana radicada em Curitiba Marianna Camargo revisita a ficção de Haruki Murakami, Juan Carlos Onetti, Lourenço Mutarelli e, especialmente, a obra de Valter Hugo Mãe – “autor que considero um assombro: pela sua linguagem, pela beleza carregada de dor, delicadeza e mistério”.

Fábio Campana faz questão de ressaltar que, para ele, Marianna Camargo é uma das vozes mais criativas da poesia contemporânea. Este ano, a Travessa dos Editores vai publicar Irreversível, obra com 50 poemas produzidos por Marianna nos últimos 20 anos. 

“Tive a honra de selecionar os textos poéticos e ainda tenho a satisfação de assinar o prefácio. O Brasil, que ainda desconhece, vai ter a oportunidade de conhecer uma voz poética única, peculiar e potente”, diz Campana, acrescentando que, para ele, conversar com a Marianna é sempre uma alegria, “um evento”.

 

Uma live livre

“Evitei ao máximo participar de uma live até por ter outras prioridades. Prefiro usar o meu tempo com livros, filmes e música. Mas resolvi participar de uma live por ser uma edição de ‘Às vezes, aos domingos’, um dos projetos culturais mais relevantes realizados nos últimos tempos no Paraná”, diz Fábio Campana, autor, entre outras obras, do livro de poemas Paraíso em chamas (1994/2013) e do romance Ai (2007). 

A exemplo de Campana, Marianna Camargo também não participou de lives. “Mas creio que será uma experiência surpreendente”, diz a autora de Salto, reunião de poemas e crônicas com ilustrações de Marciel Conrado – livro contemplado no edital “Outras Palavras”, do Governo do Paraná, em 2020, com previsão para ser publicado nos próximos meses.

“A possibilidade de entrevistar e ser entrevistada por Fábio Campana também me estimulou a participar, pois achei o projeto inédito e original. Além do mais, será uma honra ser entrevistada por ele”, diz Mariana Camargo.

Um dos mais conhecidos jornalistas em atividade no Paraná, Fábio Campana afirma que Guido Viaro e Marcio Renato dos Santos, criadores e curadores de “Às vezes, aos domingos”, idealizaram uma proposta, no mínimo, necessária, em que escritor(a) entrevista escritor(a).

Campana observa que “Às vezes, aos domingos” é uma proposta cultural que surgiu de ideia simples, mas, acrescenta, “talvez por isso mesmo, impecável”. 

“Nem sempre, mas muitas vezes os mediadores atrapalham o bate-papo. Já artista entrevistando artista é outra possibilidade. Um tigre identifica e conhece o outro tigre”, comenta o editor da Travessa dos Editores, selo que já viabilizou livros de Décio Pignatari (Céu de Lona), Paulo Leminski (Catatau), Marina Tsvietáieva (Marina), Nelson de Oliveira (O oitavo dia da semana), entre dezenas de títulos.

Paulo Venturelli, Andréia Carvalho Gavita, Roberto Nicolato, Francine Cruz, João Lucas Dusi, Eliege Pepler, Carlos Machado, Jô Bibas, Alvaro Posselt, Jaqueline Conte, Jonatan Silva, Otto Leopoldo Winck e Willy Bortolini, além dos escritores-curadores Marcio Renato dos Santos e Guido Viaro, são alguns dos autores que já participaram do projeto.

Outras informações sobre “Às vezes, aos domingos” estão disponíveis no Instagram @somadeideias e no tulipasnegraseditora.blogspot.com.

Deixe uma resposta