Ratinho Jr decreta luto pelos mortos de Covid19

O bicho pegou, Estamos em situação limite com perspectiva de agravamento. Curitiba contou, ontem, mais 45 mortes pela Covid-19, novo recorde em um único boletim desde o início da pandemia. Até então, o maior número de mortos na Capital paranaense havia sido registrado no último dia 18, com 44 mortes. Também foram registrados 822 novos casos da doença, conforme boletim da Secretaria Municipal da Saúde.

Mas, o dia não foi fúnebre apenas para a Capital. O Paraná ultrapassou ontem os 15 mil óbitos em decorrência da Covid e também somou mais de 800 mil contaminados. Diane disso, o governador Ratinho Jr decretou luto oficial por três dias no Estado.

Ontem, a Secretaria Municipal de Saúde ativou mais 11 leitos, sendo seis em UTI. Mesmo assim, a taxa de ocupação dos 492 leitos de UTI SUS exclusivos para Covid-19 estava em 102%. Não havia leitos livres. A taxa de ocupação dos 874 leitos clínicos estava em 95%, com 46 leitos livres.

Até agora são 3.581 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia. Com os novos casos confirmados, 166.314 moradores de Curitiba testaram positivo para a Covid-19, dos quais 149.273 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença. Atéontem eram 13.460 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Luto

O governador Carlos Massa Ratinho Junior decretou ontem luto oficial de três dias em todo o território estadual em respeito aos 15 mil paranaenses mortos pela Covid-19. O novo boletim da Secretaria da Saúde apontou um total de 15.166 mortes em decorrência da doença desde o início da pandemia, em março de 2020. Ontem foram confirmados mais 311 óbitos.

“Presto a minha solidariedade a todas as famílias que perderam entes e amigos queridos em consequência do coronavírus. Meus sentimentos a cada pessoa vítima desta tragédia pela qual estamos passando”, afirmou Ratinho Junior.

O Estado também passou a marca de 800 mil pessoas infectadas. Ontem foram mais 7.297 casos confirmados, totalizando 801.905 infectados.

“Estamos passando pelo período mais grave da pandemia no Estado, com as novas variantes, e por isso é hora de nos resguardar. Precisamos agir coletivamente para impedir que o coronavírus continue circulando”, pontuou o governador.

Paraná espera receber entre 300 mil a 400 mil doses de vacina por semana

O governador Carlos Massa Ratinho Junior fez um apelo para que os municípios paranaenses acelerem a velocidade da vacinação contra a Covid-19 em seus territórios e imunizem o maior número possível de sua população. A mensagem foi transmitida durante uma reunião virtual com os secretários municipais da Saúde, realizada na tarde de ontem.

Segundo o governador, o Paraná será impactado, dentro das próximas semanas, por um aumento na escala de produção das doses pelo Instituto Butantan e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – responsáveis pela produção das vacinas Coronavac e Astrazeneca/Oxford, respectivamente. Cada um dos laboratórios poderá chegar a 1 milhão de doses produzidas por dia, o que dará ao Paraná um fluxo de 300 mil a 400 mil doses de vacinas por semana.

“Quem vai salvar o Brasil da pandemia são os nossos institutos, a Fiocruz e o Butantan. Outros laboratórios internacionais também serão importantes, mas isso em um segundo momento, possivelmente só em meados do segundo semestre de 2021”, afirmou o governador.

Ratinho Junior defendeu a necessidade de ampliar horários e locais de vacinação para chegar a todos os habitantes. “Meu pedido é que vocês se dediquem. Se puderem, vacinem de domingo a domingo, comecem entre 6h e 7h da manhã, para vacinar idosos que têm hábito de acordar mais cedo. Essa estratégia nos ajuda a ganhar velocidade e, tendo mais pessoas vacinadas, possivelmente conseguiremos diminuir ainda mais o número de internações, que são nosso grande problema devido à superlotação por conta dessa nova cepa”, explicou Ratinho Junior.

A recomendação é de aplicar todas as doses já disponibilizadas, de modo a manter uma velocidade contínua de distribuição. Na última semana, os municípios tinham aplicado em média 70% das doses já recebidas. Até esta terça, haviam sido aplicadas 84,4% das primeiras doses disponíveis no Estado, totalizando 610.162 paranaenses.

Oxigênio — Com relação à distribuição de oxigênio para municípios, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil criou uma estratégia para auxiliar na estocagem do material. O órgão está recebendo doações e empréstimos de cilindros de oxigênio.

Deixe uma resposta