Espaço Cultural BRDE e Museu Paranaense lançam série de podcasts

São entrevistas com pesquisadores sobre estudos relacionados à erva-mate. Com o título “Mulheres e Erva-mate”, o primeiro episódio da série traz uma conversa com a socióloga e professora Amélia Siegel Corrêa.

29 de março de 2021 – O Museu Paranaense e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) lançam uma série de podcasts como parte do programa Circuito Ampliado – Acervos em Circulação. Trata-se de uma cooperação institucional idealizada pelo Mupa e o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões. A iniciativa prevê também duas exposições, ainda sem data de abertura, que discutem memória, representação, identidade e representatividade, tanto da erva-mate em si como da sociedade paranaense em sua ampla formação.

Com o título “Mulheres e Erva-mate”, o primeiro episódio da série de podcasts traz uma entrevista com a socióloga e professora Amélia Siegel Corrêa. A partir da figura de Maria Clara Abreu de Leão, Amélia traça um panorama da Curitiba da virada do século 19 para o 20, com foco na participação das mulheres na cadeia produtiva da erva-mate da época.

A cada mês, um novo episódio será disponibilizado nas redes sociais do Museu Paranaense e do Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões.

O programa Circuito Ampliado – Acervos em Circulação tem como objetivo incentivar a pesquisa em acervos, estimular novos recortes curatoriais e proporcionar a ampliação de públicos com a circulação de acervos de Curitiba. A primeira iniciativa nesse sentido foi fomentar pesquisas sobre acervos relacionados à erva-mate, buscando amplificar as percepções sobre o patrimônio ervateiro a partir da perspectiva histórica, antropológica, artística e cultural.

Para o diretor do BRDE, Wilson Bley, a cooperação entre instituições é uma das formas de valorizar o patrimônio paranaense e incentivar o fortalecimento da cultura e da pesquisa. “Nessa colaboração firmada entre o Palacete dos Leões – Espaço Cultural do BRDE e o Mupa nossa proposta foi incentivar a pesquisa sobre o patrimônio ervateiro a partir do importante acervo do Museu Paranaense, o primeiro criado no Paraná, em 1876”, destaca.

PESQUISADORA – Amélia Siegel Corrêa é professora de História da Arte, socióloga e consultora de museus e exposições. Pesquisadora na área de artes visuais, gênero e patrimônio histórico. É doutora em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP) e integrou o programa de pós-doutorado em Antropologia pela Universidade de Copenhagen.

Escreveu “Alfredo Andersen: retratos e paisagens de um norueguês caboclo”, de 2014, e atualmente prepara, em conjunto com a historiadora Solange Rocha, o Boletim Casa Romário Martins, da Fundação Cultural de Curitiba, sobre a história do Palacete Leão Jr.

BRDE – Inaugurado em junho de 2005, o Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões, em Curitiba, é mantido e coordenado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. Oferece programação gratuita, realiza exposições e atividades relacionadas à história, artes visuais, arquitetura e patrimônio cultural. Sua programação contempla um programa de mostras temporárias de artistas nacionais e de exposições em parceria com outras instituições culturais.

MUSEU PARANAENSE – O Museu Paranaense, fundado em 1876, é o mais antigo do Paraná e o terceiro mais antigo do Brasil. Com um acervo atual de aproximadamente 800 mil itens, as peças são mostradas ao público em exposições abertas e gratuitas, divididas em salas de mostras temporárias e de longa duração.

Devido ao rico acervo histórico, o museu tem uma forte atuação de pesquisa em áreas como a Antropologia, História, Arqueologia, mas também propõe conexões interdisciplinares entre estes campos, combinadas com uma visão expandida para a Arte Contemporânea.

Serviço:

Episódio 1 – Mulheres e Erva-mate com Amélia Siegel Corrêa

Como acessar: Redes sociais (Facebook e Instagram) do Museu Paranaense @MuseuParanaense e Espaço Cultural BRDE – Palacete dos Leões @EspacoCulturalBrde

Foto: divulgação.

Deixe uma resposta