Inquisição arma fogueira para Renato Freitas

A nem um pouco santa Inquisição na Câmara de Vereadores de Curitiba decidiu armar a fogueira para acabar com o mandato do vereador Renato Freitas, do PT. As alegações são ridículas. Acusam Renato Freitas de falta de delicadeza, maus modos, mania de superioridade, radicalismo nos debates, intolerância com os crentes, desrespeito ao pensamento alheio, falta de sensibilidade, falta de educação ao se referir aos colegas.

Ora, pois, tudo aquilo que se poderia dizer de qualquer bolsonarista ou sabujo que tem mandato de vereador. Mas a turma do terraplanismo e da cloroquina se diz cansada das indelicadezas de Freitas, que não concorda com eles e com as ideias religiosas da bancada de pastores.

Assinaram o pedido de cassação do mandato por quebra de decoro parlamentar, vereadores de três diferentes partidos: Osias Moraes (Rep), Ezequias Barros (PMB) e Sargento Tânia Guerreiro (PSL).

Deixe uma resposta