Deonísio da Silva coordena nova coleção de prosa

Do Rascunho. “Abelha: Mel & Ferrão”, da editora Almedina, estreia com a publicação de “Crônicas, taokey?”, do carioca Carlos Eduardo Novaes. A editora Almedina está lançando a coleção “Abelha: Mel & Ferrão”, que tem a curadoria do romancista Deonísio da Silva. O primeiro livro da coleção é Crônicas, taokey?, do carioca Carlos Eduardo Novaes, segue chaga às livrarias nas próximas semanas. […]

Continue lendo »

NOVIDADES BRASILEIRAS DA EDITORA ALMEDINA

O Grupo Editorial Almedina contratou quatro novos livros para a coleção Abelha: Mel & Ferrão. Dirigida por Deonísio da Silva. São eles: 1) A grande aventura de Spix e Martius, do gaúcho Martin Wille; 2) Tiranos imperadores de opereta, do catarinense Ernani Buchmann; 3) O último dia de Cabeza de Vaca, do paranaense Fábio Campana; 4) Amores, Trilhas e Tropeços, do mineiro Benito Barreto. Crônicas, […]

Continue lendo »

SABOR DE MORANGO

SABOR DE MORANGO por Deonísio da Silva.     Conto inédito, especial para Revista Ideias .   A igreja de minha adolescência profunda era a sede ou matriz da Paróquia Santa Teresinha, em Jacinto Machado (SC). Ali fui coroinha. Em certo domingo, depois da missa, um ciclista foi atropelado por um caminhão. Foi um auê danado. Ainda paramentados, o padre e os […]

Continue lendo »

O que se diz à sombra – Deonísio da Silva

O catarinense Péricles Prade é, sobretudo, poeta, mas frequentemente irrompe em outros gêneros, como acaba de fazer com Colônia de Sombras (Rafael Copetti Editor, 2020), pequenino grande livro de narrativas curtas, gênero pelo qual a humanidade tem insopitável admiração. Poeta imaginoso e hábil narrador, mescla os dois gêneros, tornando-os ainda mais breves, destacando-se entre poetas de versos parecidos com narrativas […]

Continue lendo »

Uma bengala para outra centenária

No centenário da Academia Brasileira de Letras, um samba-enredo saudou Machado de Assis, sem citar nenhum livro do Bruxo do Cosme Velho, como o chamou Drummond, e implicitamente o romancista Jorge Amado e o poeta João Cabral de Melo Neto, ao fazer referência aos livros Dona Flor e Gabriela, do primeiro, e Morte e Vida Severina, do segundo, concluindo: “E […]

Continue lendo »

Com uma mão se lava a outra

Esta frase resume preceitos de solidariedade, dando conta de que as ajudas devem ser mútuas. Foi originalmente registrada no parágrafo 45 do romance Satyricon, do escritor latino Tito Petrônio Arbiter (século primeiro a.C.), transposto para o cinema pelo famoso cineasta italiano Federico Fellini (1920-1994). Em síntese, o romance narra a história de um triângulo amoroso, envolvendo dois rapazes apaixonados por […]

Continue lendo »