Cinema de quarentena

Com roteiro, direção e cenário da escritora Marguerite Duras, Baxter Vera Baxter (1977), é um dos seus longas que escapam as definições de gênero cinematográfico. Baseado no romance Vera Baxter ou les Plages de l’Atlantique, o filme é classificado como “escritura”, por seu forte tratamento poético do texto. Duras apostou em suas produções na exploração do psicológico dos personagens e na […]

Continue lendo »

Cinema de quarentena

Febre do rato (2011)  O poeta Zizo, em ‘Febre do rato’, gritou pra Recife: “pelo direito de errar” – o que parece um recado de Cláudio Assis – entre tantas outras poesias. E, depois, foi assassinado pela polícia. O mundo tem mais polícia que poeta. Polícia-polícia e polícia-pessoa. E errar não é direito. Pois deveria. Acaso houvesse mais poeta-poeta e poeta-pessoa, Zizo não […]

Continue lendo »

Estreia de ‘Água Selvagens’

Lucio Gualtieri (Roberto Birindelli) é um ex policial argentino que agora trabalha como investigador. Cheio de problemas em sua vida pessoal, ele aceita um trabalho mediano para solucionar um crime qualquer cometido na tríplice fronteira. Porém, chegando lá, ele dá de cara com uma organização criminosa e acaba se metendo em uma trama de assassinatos, prostituição e tráfico de menores, […]

Continue lendo »

Mais história

Os irmãos Lumière, inventores do cinema (ver número 218 da revista) o consideravam de interesse apenas científico, não imaginaram suas potencialidades artísticas. Georges Méliès estava entre os espectadores maravilhados da primeira apresentação de cinema no “Grand Café” em Paris. Tentou comprar o cinematógrafo, mas os Lumière recusaram. Comprou um aparelho análogo, e como vinha do teatro, criou o espetáculo cinematográfico. […]

Continue lendo »

Pré-Cinema

Voltamos ao século 19, nos tempos de Edison que patenteou o Kinetoscópio, em 1891, desenvolvido por Willian K. L. Dickinson engenheiro-chefe do Laboratório de Edison. Este caixotão possuía um pequeno visor individual ao qual se podia assistir imagens em movimento, mediante a inserção de uma moeda. Dado ao tamanho limitado da telinha as imagens disponíveis eram de animais amestrados, cômicos, […]

Continue lendo »

Cinema em Antonina

O Theatro Municipal de Antonina foi construído na segunda metade do século XIX, durante a fase áurea da economia da cidade. Chegou a ser considerado um dos melhores do Estado. No início do século XX, a prefeitura adquiriu o espaço e nele apresentavam-se elementos da sociedade local, grupos amadores em espetáculos quase sempre beneficentes. Em 1962 o então prefeito realizou […]

Continue lendo »

O show não pode parar

Zito Alves Cavalcanti, através da sua empresa a Paracine, instalava e mantinha cinemas em todo o Paraná, chegando a ser responsável, em certa época, por todos os cinemas da capital, através de contratos de manutenção com as empresas exibidoras. Foi também exibidor, gerente, operador, passou por todos os estágios da exibição cinematográfica, além de uma memória privilegiada e detalhada como […]

Continue lendo »

Cinema. Ed. 218

Na cinemateca de Francisco Mallmann Francisco Mallmann atua na intersecção entre poesia, performance, dramaturgia, filosofia e crítica de arte. É artista residente da Casa Selvática, onde idealizou a Membrana, uma “grupa” crítica-afetiva de escritores, ouvintes e leitores. É idealizador e editor do site sobre artes cênicas Bocas Malditas. Está entre os finalistas do Prêmio Rio deste ano, e ficou em […]

Continue lendo »
1 2 3 12