A reduzida eficiência dos elevados gastos públicos no Brasil

Resultados de pesquisa recente, realizada pelo banco Credit Suisse, confirmam o diagnóstico corrente, defendido pela esmagadora maioria dos analistas econômicos que preservam posições independentes do triunfalismo transmitido reiteradamente pelas autoridades do Palácio do Planalto, sublinhando as barreiras impostas pelos vultosos e pouco eficientes dispêndios governamentais ao crescimento econômico brasileiro. A orientação geral dos estudos da respeitada agência financeira permitiu o […]

Continue lendo »

De pernas pro ar

Vivo num país de pernas pro ar. Minha sensação é de que está tudo do lado errado, tudo ao contrário. Essa agitação política toda me dá um sentimento ambíguo, agridoce. Fico feliz por viver um tempo em que a rua está sendo ouvida pela primeira vez de verdade na história dessa jovem democracia. Fico feliz por ter uma investigação verdadeira […]

Continue lendo »

Cultura sempre, com ou sem ministério

Caetano Veloso e Erasmo Carlos em apresentação do OcupaMinc. Foto: Divulgação Houve uma grita geral entre artistas sobre o sepultamento do Ministério da Cultura. Teve gente contra, gente a favor, gente que levanta protesto, gente que fez piada. Teve muita ladainha e pouca informação de verdade circulando. Gosto de saber dos fatos, dos números, das notícias que diminuem as possibilidades […]

Continue lendo »

A arte de ser otário

“Em tupi, ‘ritiba’ quer dizer ‘do mundo’”. Quando cunhou este delicioso aforisma, o saudoso Millôr Fernandes por sorte não encontrou resistência aqui no Primeiro Planalto. Eram outros tempos. Por mais provincianos que fôssemos (e ainda somos), sabíamos rir de nós mesmos – o que é virtude essencial para qualquer pessoa que dê valor ao Tico e ao Teco. A despeito […]

Continue lendo »

Bela, recatada e do bar

Esta entrevista aconteceu numa noite de segunda-feira, no começo do mês de maio, na casa da Adriana Sydor (colunista de música da Ideias), que colaborou com algumas perguntas, mas foi definitiva no creme de abóbora com carne-seca que acompanhou a conversa, regada a vinho. Fábio Campana também estava presente e foi determinante no andamento dos diálogos, com perguntas objetivas que […]

Continue lendo »

O vendedor de trovas

Fala-se costumeiramente que poesia é a literatura que menos vende. Isso é axiomático, tal o relato das editoras que mostram o fiasco mesmo de gênios como Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto ou de figuras da província e com expressão nacional como Helena Kolody, Paulo Leminski ou ainda Emílio de Menezes, da transição parnasiana para o […]

Continue lendo »

Esperança equilibrista

Gonzaguinha. Foto: Divulgação   Dizem por aí que o homem é feito de esperança. Por acreditar é que segue em frente, traça planos, arquiteta ideias, sonha. Pode ser, não sei. Tenho um pé atrás com esse lance de esperançar, mas sei que é por algum tipo de ideia que se mistura com o otimista conceito de ter fé no porvir […]

Continue lendo »

A improvável arte dos mortos

Longe de qualquer estereótipo gótico ou coisa assim, Clarissa Grassi sempre gostou de frequentar cemitérios. Não pelo lado mórbido da paisagem, e sim pela calma e tranquilidade que ela evoca. “É um lugar quase catártico”, diz. “Eu gostava de caminhar pelas alamedas, admirar as esculturas”. Até que, no começo dos anos 2000, o que era apenas um refúgio virou uma […]

Continue lendo »
1 2 3 4