A decadência da beleza

Creio em Pixinguinha, em Van Gogh, em García Márquez, em Fernando Pessoa porque acredito na beleza como profilaxia   Uma paisagem urbana bonita que consegue me surpreender quando ando pelo centro da cidade são as árvores que cresceram na Rua XV. Quando era menina, não passavam de arbustos infantis e hoje as olho como espelho, tive a oportunidade de acompanhar […]

Continue lendo »

A minha cidade é minha

A minha cidade é minha. É minha porque cuido, porque zelo por ela. É como alguém da família. Sei dos seus defeitos e procuro ajudá-la a repará-los. Sei de suas qualidades e procuro enaltecê-las. Essa cidade é minha porque conheço seus caminhos, seus ritmos. Sei da sua pista mais rápida, o caminho mais curto, a casa mais bonita, o ipê […]

Continue lendo »

A mente autoral de Valdir Cruz

Entre 19 de agosto e 4 de dezembro de 2016, o fotógrafo paranaense, nascido em Guarapuava, Valdir Cruz estará expondo as suas fotografias no Museu Oscar Niemeyer: “Valdir Cruz: Imago – o olhar do sabiá”. Tive o prazer de conversar com ele nas dependências do MON enquanto prepara a mostra. O hoje respeitado e criativo fotógrafo foi em 1978 para […]

Continue lendo »

Os vikings no Paraná

A presença de “vikings” na vida do Paraná não é novidade. Minúscula, essa imigração de homens e mulheres vindos da Islândia (Ice Land, a terra do gelo, território que é a metade do paranaense), é apenas muito pouco conhecida. A universidade nada produziu sobre ela e poucas são as referências bibliográficas existentes sobre o assunto. As grandes levas de europeus […]

Continue lendo »

Confrarias, Charutos e Culinária

Um dia fiz parte de uma das mais antigas confrarias de charutos do Brasil: a saudosa e inesquecível LOS PUROS. Ela foi um símbolo de alguns privilegiados epicuristas curitibanos. A confraria se reunia mensalmente em volta de grandes jantares acompanhados de grandes vinhos e a obrigatoriedade de se degustar os puros cubanos. Era uma festa móvel como diria Hemingway e […]

Continue lendo »

Do mar às linhas: Coletivo Marianas

Foto: Larissa Grabowski   Seria impróprio não usar do espaço para demonstrar a primeira pessoa que há no tema. A literatura é aquele lugar aonde me encontro e me perco. É o lugar que escolhi e que me escolheu. Do clichê amoroso ao profissional. Estudo, pesquiso e faço. Mas há uma especificidade. Estudo literatura de mulheres. Mulheres marginais no caso […]

Continue lendo »

Altius. Fortius. Citius

Ah, se pudéssemos listar tudo de bom que ficou desta Olimpíada “à la carioca” como chamou o presidente do COI… “À la Usain Bolt” então lá vai: ufa! Aquele baita pavor de que algo desse (muito) errado foi infundado. Até mesmo os problemas das instalações inacabadas da delegação australiana e o canguru que o prefeito carioca pagou lá no começo […]

Continue lendo »

Moça, você não é obrigada a nada

“Quem me culpa? Muitos, sem dúvida, e me chamarão de insatisfeita. Não podia evitar: a inquietação era da minha natureza; às vezes tanta agitação me doía” Charlotte Brontë   Há algum tempo venho acompanhando a aglomeração de debates acalorados nas redes sociais sobre o feminismo. A visibilidade das discussões cresce e o entendimento de causa fica ofuscado. Infinitos textos são […]

Continue lendo »

No inverno, puchero, malbec e tango

Puchero é o cozido espanhol que se transformou na Argentina. Prato favorito de meu avô, Don Diego Ignácio Vera, que o preparava no inverno. O puchero é um dos pratos mais populares da cozinha argentina, contribuição dos imigrantes espanhóis. Por ser barato e simples de preparar, o puchero deixou de ser uma comida dos imigrantes e ganhou cores e sabores […]

Continue lendo »
1 2 3