Maria Bueno: Espelho sem rosto

No dia de suas aflições, os vivos serão levados pela mão dos mortos para a morte horrível. Da cidade não ficará um garfo, aqui uma panela, ali uma xícara quebrada, ninguém informará onde era o túmulo de Maria Bueno. (“Lamentações de Curitiba”, Dalton Trevisan)       A memória, e tanto pode ser a memória individual como a memória coletiva, […]

Continue lendo »